jump to navigation

Ciranda de Fernando Infante agosto 19, 2009

Posted by eliesercesar in Poesia.
trackback

pipas1

I

Meu poema é espírito derramado,

Vastas chamas de um lago

Nos olhos de um menino,

Águas límpidas

Nas íris de um menino.

II

Longe de desesperanças,

Invulnerável à outra solidão,

Meu poema é pipa sem cordão.

(Do livro Os cadernos de Fernando Infante)

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: