jump to navigation

PELOURINHO agosto 19, 2009

Posted by eliesercesar in Poesia.
trackback

Pelourinho

Não julgo cor,
nem escolho tribo
(toda cisão me atrapalha).

Não tenho Deus,
nem o Diabo
que me valha.

Não sou (e isto é o bastante),
proprietário da casa-grande,
nem inquilino da senzala.

Anúncios

Comentários»

1. Lidi - agosto 20, 2009

Já conhecia esse poema seu. Maravilhoso. Muito bom mesmo. Adorei. Vou adicionar seu blog ao meu, Elieser. Um abraço.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: