jump to navigation

Rádio Jabá FM – Uma comédia baiana agosto 19, 2009

Posted by eliesercesar in Prosa.
trackback

PROGRAMA 10

Escrachete do Brasil

O cenário é um estúdio de rádio.  O locutor está ao microfone. Ouve-se a vinheta, numa voz feminina, com a mesma modulação dos anúncios de aeroporto: Jabá FM, a rádio que não se vende.

Locutor:Orelhudos que escutam a Jabá FM, cambada de amigos. A sua emissora que não se vende é   destituída de quaislqueres….

Florisbela de Paulo: Quaisquer.

Locutor: Pois, bem:  Destituída de quaisquer preconceitos, pois prima pela diversidade étnica e pela pluralidade de idéias, mormente no que concerne ao direito dos falsos ao corpo exercerem a sua sexualidade clandestina, a sua emissora que não se vende,traz hoje uma entrevista com  Escrachete do Brasil, o político periguete.

(Entra Escrachete do Brasil, vestido num terninho listrado e calçando uma sandália de salto plataforma);

Locutor: Bom dia, Escrachete do Brasil.

Escrachete do Brasil: Muito bom dia, Bilbil.

Locutor (estranhando): Bilbil?

Escrachete do Brasil: É um apelido do meu gato.

Locutor (Enfezado): : Mais respeito Escrachete, mais respeito.

Escrachete (Indiferente): : Tá estressadinho, é? Então relaxe e goze.

Locutor: Isso é da Marta Suplicy.

Escrachete do Brasil (Horrorizada): : Deus é mais! Aquela baranga!

Locutor: Escrachete, você é político ou política?

Escrachete do Brasil: Bem, no plenário eu posso até ser político, mas na rua faço a política do corpo

Locutor: Você mija em pé ou sentado?

Escrachete: Aí, depende. Quando  estou cansada, faço sentada. Quando estou descansadinha, faço em pé, é mais excitante.

Locutor: E a política? O que acha da política, Escrachete?

Escrachete do Brasil: Sabe a política é muito careta.  Tá cheia de bofe.

Locutor: Bofe, Escrachete? Diga o nome de alguns deles.

Escrachete do Brasil (Precavido): : Tá louco, meu bem? Aquela raça não é moleza. Eles cassam meu mandato.

Locutor: Fale um pouco de sua atuação política.

Escrachete do Brasil: Minha plataforma, não a minha sandália plataforma.. (Apontando a sandália):  É linda, né? Minha plataforma de atuação política é defender os gays, as lésbicas e os transsexuais.

Locutor:: Tá amarrado!

Escrachete do Brasil: O quê ?

Locutor: Eu disse que esse pacote de defesa das minorias sacanas…

Escrachete do Brasil (indignada): Sacanas!!!

Locutor: Não, bacanas. Eu disse que esse pacote de defesa das minorias bacanas tá muito bem amarrado. Tá amarrado!

Escrachete do Brasil: Ah, sim!

Locutor: Escrachete cadê a Periquita? Mostre a Periquita?

Escrachete: Periquita é uma assessora muito competente, de extrema confiança e de muita sensibilidade. Ela ficou, no gabinete, cuidando dos meus projetos.

Locutor: Por falar em projeto, é verdade que você quer instituir cotas de veados na televisão?

Escrachete do Brasil: E quem disse que precisa. A TV já tá cheia de bibas, como as rádios.

Locutor (Enérgico): Alto lá! As rádios, não. Pelo menos aqui na Jabá. Aqui só tem macho e até tarado como Toinho Zoião, que não pode ver uma nega passar rebolando pela passarela do Iguatemi.(Gritando no estúdio): Zoião, ò, Zoião, diga, aqui uma coisa, para os ouvintes da Jabá FM,a rádio que não se vende: você vai em Escrachete do Brasil?

Toinho Zoião: Ela é que não vem, aqui. (Indubitável):  Vou, de rocha!

Escrachete do Brasil: Saí pra lá, farol de fusca, que eu não sou pra o seu bico.

Locutor: E, agora, em homenagem a Escrachete do Brasil, vamos tocar, em primeira mão, o novo pagode do Grupo Rebolado de Muié: “Cupim-fêmea”. Som na caixa.

Ela é uma fêmea de cupim.

Com ela não tem tempo ruim.

Ela só pensa na madeira,

só pensa na madeira;

é na madeira.

(Escrachete do Brasil se levanta  e começa a requebrar, com as mãos nas cadeiras, subindo e descendo, no compasso da batucada).

Ela só quer comer madeira.

Ela só quer provar madeira.

Ela  só vive de madeira.

É na madeira, é na madeira, é na madeira.

Essa fêmea de cupim, só quer madeira

só quer madeira, só quer madeira.

Escrachete do Brasil (batendo palmas): Divina”! Maravilha! !(Cantando): Ela só quer comer madeira. Ela só quer provar madeira. Ela só vive na madeira. (Saltitando, no estúdio): Massa!. Adorei. (Estribilhando): Ela só vive de madeira. É de madeira. É de madeira.

Locutor: Chega, Escrachete.

Escrachete do Brasil (já reposta e sentada na cadeira): Você me dá uma cópia?

Locutor: Da entrevista?

Escrachete do Brasil: Não, Pedro Bó, da música.

Locutor: Claro, Escrachete. E, agora, uma última pergunta. É verdade, que você vai fazer operação para mudança de sexo?

Escrachete do Brasil: Que horror! Quem disse uma asneira dessa? Eu me sinto bem como sou, com algo a mais, sabe?

Locutor: Obrigado Escrachete. Espero que a Jabá FM, a rádio que não se vende, possa contar novamente com a sua brilhante e purpurina participação.

Escrachete do Brasil: De nada, coração. (Já de pé, deixando o estúdio, requebrando e cantando): Ela só quer comer madeira. Ela só quer provar madeira. Ela só vive de madeira.

Locutor: Ouvintes da Jabá, vamos às notícias.

“Dilma Jackson”

Nos bastidores de Brasília, estão dizendo que, depois de repaginar a cara, a ministra Dilma Rousseff ficou parecendo o Michael Jackson. Os mais maldosos  do PSDB e do DEM andam espalhando que, depois da cirurgia plástica, o PAC, milionário programa gerido pela ministra, passou a significar Para Assustar as Criancinhas.

Bahia de todos os grampos

O deputado Albertinho Lisura, que deve uma boa grana à Jabá FM e, na maior cara de pau, faz de conta que não deve nada, está sendo acusado, pela Polícia Federal, de grampear os telefones de políticos, empresários e magistrados baianos, ao estilo da grampolândia patrocinada por Toninho Malvadeza, que Deus o tenha. Devia perder o mandato. Faz escuta ilegal, compra votos usando dentaduras como moeda de troca e, ainda, dizem, por aí, que é falso ao corpo. É uma descaração total.

Aeroporto é Dois de Julho

E, por falar em Malvadeza. Depois da morte do senador Antônio Carlos Magalhães. (Sem conter a admiração): Eta homem retado! Depois da morte desse político inesquecível,  já passou da hora de se resgatar o nome do Aeroporto Dois de Julho e acabar com esta história de Luís Eduardo Magalhães. Já que estamos falando no falecido deputado, vocês, ouvintes da Jabá, sabem responder a esta pergunta: quem nasce no município de Luís Eduardo Magalhães, antigo Mimoso do Oeste, perto de Barreiras,  é o quê? Resposta: Neto de ACM.

(Com a voz menos empostada): Amigos da Jabá, a sua emissora que não se vende vai sortear quatro ingressos para a sessão dupla de filmes pornôs, no Cine Astor, ali perto da Ladeira da Praça, para quem responder: Foi Celso Furtado ? E por falar em filme, os boiolas estão lotando as salas de cinema do Brasil inteiro para assistir Milk, a voz da veadagem,

Camila Melo: Da igualdade.

Locutor: Isso mesmo da igualdade, boiola é tudo igual. (Debochado): ): Um último informe: Quando saí daqui, Toinho Zoião vai lá pro Cine Astor, bater uma. Ò Zoião que não se enxerga! (Colocando o som na caixa): Para encerrar, em homenagem ao nosso entrevistado de hoje, Escrachete do Brasil, fiquem mais uma vez com a excepcional “Cupim-Fêmea”, do Grupo Rebolado de Muié:

Ela é uma fêmea de cupim.

Com ela não tem tempo ruim.

Ela só pensa na madeira,

só pensa na madeira;

é na madeira.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: