jump to navigation

ESTRELA agosto 20, 2009

Posted by eliesercesar in Poesia.
trackback

Estrela

I

Agora, não reclamo  da vida.

Já não dói a ferida

que não cicatrizou.

O espelho partido

revela a verdadeira face.

II

O coração é duro aço.

Não lamento  o amor fracassado,

a criança morta; o dente cariado.

Quero (nos meus olhos baços),

o que reluz.

III

Agora não sou infeliz,

tampouco, poderia estar contente.

Apenas sou:

imune à vida rasteira

porque

o nome da estrela é Ajenjo.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: