jump to navigation

CANÇÃO DE ABRIL setembro 10, 2012

Posted by eliesercesar in Poesia.
trackback

Pertenço à casa dos sérios

dos que não tiveram infâncias

dos que não choraram, nem riram;

casa dos sérios.

Pertenço à casa dos febris, dos pusilânimes

dos pálidos que não tiveram pernas

para correr do medo de não terem pernas

para correr do medo.

Pertenço à casa das sombras

onde só moraram aqueles

que não possuíram espelhos

e não se viram homens,

mas hienas e onças,

duplamente fera.

Pertenço à casa

(oh. Porque logo a esta fui pertencer?)

dos que estavam ausentes

quando as ninfas chegaram

e pintaram o arco-íris,

distribuíram as flores

e romperam o silêncio e a solidão

com flautas.

(E, tampouco, se fizeram presentes)

quando as ninfas partiram

pintando o arco-íris,

distribuindo as flores

e rompendo o silêncio e a solidão

com flautas).

Pertenço à casa dos que retrocederam

após os primeiros passos da partida.

Pertenço à casa partida!

(Do livro “Os cadernos de Fernando Infante”, 1997)

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: