jump to navigation

POEMA DE AMOR fevereiro 24, 2013

Posted by eliesercesar in Poesia.
trackback

Desalinho

Já não velei por ti em desalinhos?
O beijo repousado em tua face
é mesmo lua e concerto de oboés.
Teu hálito morno é perfume
que a brisa absorveu na brisa.
Teus olhos (cruéis relâmpagos)
movem trovões e removem tempestades.
Ah, é mesmo assim a anatomia
efêmera de teu corpo.
A coroa rosada de teus lábios
nomeou novas flores e jardins?
Teu dorso – nuvem esculpida em algodão,
ah, esse teu dorso! – conheceu
novos afagos e carinhos?
O odor vicejante de animal que tu espalhas
(o teu odor) impregnou homens e amantes?
Oh, já não velei (que queres mais de mim?),
já não velei por ti em desalinhos?

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: