jump to navigation

DIVÃ abril 24, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
1 comment so far

Freud

Conviva com seu defeito,
Nenhum mundo é perfeito.

Anúncios

DOIDINHO DO CAMISÃO abril 24, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Maluco

(Um lunático lá, na infância, em Feira de Santana)

Gosto dos malucos mansos.
São a falta de juízo de Deus.

CINEMA abril 21, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
1 comment so far

Vento

Aí de nós!
O tempo passa, veloz,
e a gente (por mais que cisme),
não faz ideia
de que a vida é um filme
que não passou da pré-estreia.

REZA DE SANTO ANTÔNIO abril 12, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Santo
Sim: as folhas caem no outono,
caem as folhas, no outono,
Santo Antônio.

Também  a gente vai caindo
– uns, em plena graça,
outros, no abandono –
a cada dia,
Santo Antônio.

 

VERMELHO abril 8, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Vermelho

I

Quando olho no espelho,
às vezes vejo um menino,
guri, moleque ou fedelho.

II

Quando olho no espelho,
vejo rosto, cabelos, idades
e uma certa tensão
que todo espelho provoca.

II

Todo espelho nos convoca
para que o somos, o que seremos,
e o que não poderemos ser.

IV

Todo espelho é sereno.
Em qualquer idade,
todo espelho é suave.

V

Também,o espelho, envelhece,
contemplando a mesma face.

VI

Tenho muitas cores no espelho
– azul, amarelo, lilás, verde –

e este vermelho
que não se apaga
no espelho.