jump to navigation

REBELDIA agosto 19, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

MÃO

Na chuva ou no estio,

criar é um ato arredio.

PASSOS agosto 17, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

pASSOS
É assim que se caminha direito:
vá para frente, siga adiante;
o que foi feito já foi feito;
melhor,agora, do que antes.

MURO agosto 17, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

mURO

Todos, temos um muro,
sólido, indestrutível,
pronto e acabado.

Quando, enfim,
saltaremos para o outro lado?

BOMBONIERE agosto 12, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Balas

Nós oferecemos o pescoço,

e o mundo o cutelo.

Era mais amena a vida,

quando havia a bala  Soft,

caramelo.

SEM PRESSA agosto 8, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Sem Pressa

Caminha assim o talento:

fugaz, rápido;

duradouro,  lento.

 

 

TÚMULO agosto 7, 2016

Posted by eliesercesar in Poesia.
1 comment so far

Eles

Ele está cansado dela;
ela, cansada dele;
e, no entanto, se abraçam
não como amantes.

Como dois mortos distantes.