jump to navigation

TALENTO maio 19, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Garota lendo

Às vezes ágil;
outras, lento.

O verso ruim
é um tormento.

 

EUREKA março 28, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

eureka

I

Não se debata procurando o poema.
Não fique triste.
Tem certeza que ele existe?

II

Não se debata procurando o poema,
Se não veio, a culpa não foi dele.
Se desejar, arranque os cabelos.
Ou, então: espere, espere.

III

Quem sabe um dia,
você poderá dizer: Eureca?!
Então, enfim, já fez o seu poema
e também ficou careca.

BRASIL março 28, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

Chora, Brasil.

Lutamos pelo pão,
pelo sim e o não,
pela terra e a nação.

Lutamos pela clareza,
jamais pela escuridão.

E, no entanto, (faz sentido?),
ficamos num ponto indefinido
entre a esperança e a decepção.

O TÚMULO DE MEU PAI março 3, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

folha

I

Revi o túmulo de meu pai
(1918-1989, difícil aritmética).

II

Revi o túmulo de meu pai.
Então, achei a vida breve,
como a folha amarelinha,
eterna e breve,
que caiu sobre o túmulo de meu pai.

Tucano, Bahia, 27-02-2017

TROPEÇO fevereiro 20, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

pedra

Siga no caminho da retidão.
O mundo é claro,
mas também escuridão.

Um passo em falso,
não é só um passo.

DRACMA fevereiro 16, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

nica

Pois, tenho o nome de César,

e, a César, devolvo a vil moeda.

Não sou imperador.

Sou poeta!

PÁGINAS EM BRANCO DA HISTÓRIA janeiro 28, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

rapto-das-sabinas

I

O que escreveremos nas páginas em branco da História,

oferecidas a cada geração após a outra?

Guerras, cataclismos, genocídios, revoluções,

as descobertas  das ciências e os feitos  das artes,

as estratégias dos grandes generais,

a expansão do império por um poderoso rei,

o surgimento de um novo planeta

e a extinção de uma estrela,

escreveremos nas páginas em branco da História?

II

O florescer de uma orquídea entre os charcos,

a  luta de uma criança asmática por um pouco mais de ar,

a borboleta que milagrosamente escapou

da rede do caçador de borboletas,

o  passarinho alimentando os filhotes, no ninho,

o amor irrealizável de dois corações tímidos,

o último suspiro de um moribundo

que não deixou de amar o mundo.

Tudo isso e muito mais

(o vento que vem e a chuva que cai),

escreveremos nas páginas em branco da História.

 

CARONTE janeiro 24, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

caronte

Era uma decisão de vida ou morte.
Então pensei:
com um pouco de sorte,
não pegarei esse transporte.

ESPELHO PARTIDO janeiro 17, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

espelho

Quando o espelho se partiu,
os estilhaços de vidro
(verdade ou miragem?),
feriram-na menos
do que a sua imagem.

LEAR janeiro 17, 2017

Posted by eliesercesar in Poesia.
add a comment

lear

Que força, que espectro,
que ente endemoninhado
arrancará o cetro
das mãos de um rei
já destronado?