jump to navigation

SANIDADE dezembro 4, 2016

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

pintura-de-tuninho

Já vou lhe dizendo. Meu irmão mais velho é maluco.
Meu irmão mais novo é doido. Minha irmã mais velha perdeu o juízo. Minha irmã mais nova não tem um pingo de discernimento.
O único são sou eu.
O único são sou eu.
O único são sou eu.
O único são só eu.
O único….

(A ilustração é uma tela de Antonio Brasileiro)

BUKOWSKI novembro 26, 2014

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

Bukowski

Primeiro perguntei à gostosa que mostrava quase tudo pela rua:
– Se atrasou por quê?
Ela deu um muxoxo e puxou para baixo o vestido curto e coleante, que teimava em subir pelas pernas como se pudesse lhe lamber as nádegas.
Voltei à carga:
– Deixe o vestido em paz. Quando chegar na calcinha, eu aviso.
Imperial, ela prosseguiu seu caminho, sem olhar para trás.
Ainda tentei:
– Vestida para matar quem?
Desta vez, ainda sem se virar (teria a cara arrebentada de um pugilista?), ela respondeu:
– Metade de Nova Iorque.
Então, quase implorando, pedi:

– Comece com o papai, aqui!

EFEITO COLATERAL fevereiro 3, 2013

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

Carnaval

Quando a pandemia chegou a Salvador, com seu rastro mundial de internações e morte, a moça lamentou:
– Por causa desta maldita doença, não haverá Carnaval.
Desolado, o namorado dela, emendou:
– Droga, este ano, não poderemos sair no Chiclete.

MUNDO CÃO janeiro 10, 2013

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment
cão
Sempre tem alguém sendo preso;
matando, roubando,
espacando, enganando alguém;
um programa de TV mostrando tudo
e um criminoso assistindo.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA janeiro 10, 2013

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

Imagem

Com o Microlife,

vocês vão ter

a sensação de que estão vivendo.

MARICOTA dezembro 20, 2012

Posted by eliesercesar in Minicontos.
2 comments

repentistas

– Temos que arranjar uma cota do Prêmio Nobel para os repentistas do Nordeste – planejou a deputada Maricota.
– Mas, Maricota, isso é com a Academia Sueca – observou um assessor da parlamentar.
– E daí? De repente, cola – insistiu Maricota.

MARICOTA dezembro 18, 2012

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

bANDEIRINHA

– Precisamos dar um jeito de aprovar cotas para cego ser juiz de futebol – disse a deputada Maricota.
– Mas, Maricota, cego, juiz de futebol, não dá? – ponderou um assessor da parlamentar.
– Então, bandeirinha – afirmou Maricota.

MARICOTA dezembro 17, 2012

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

Imagem
– Temos que lutar para aprovar a cota para o cotó – afirmou a deputada Maricota.
– Maricota, não se diz cotó, mas pessoa portadora de insuficiência braçal – corrigiu um assessor.
– Então, temos que aprovar uma cota para esta pessoa – respondeu Maricota.

CELULAR (UMA HISTÓRIA MORAL) dezembro 12, 2012

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

Celular

Adernergelson foi o primeiro a chegar ao local do acidente. Encontrou o automóvel em frangalhos e a mulher presa às ferragens. O olhar dela — alento do afogado que acredita na salvação – o impressionou profundamente. Antes, vasculhou a bolsa da agonizante e encontrou um telefone celular. Depois, virou as costas, deu de ombros e se foi,pensando: “Pra que essa aí vai querer um celular bala como esse?”.

O CORRUPTO dezembro 1, 2012

Posted by eliesercesar in Minicontos.
add a comment

corrupto

O velho funcionário, de conduta irrepreensível, encontrou o colega que julgava honesto.
– Até você, roubando? – perguntou, com a cálida esperança, de que o outro respondesse que tudo não passara de um mal-entendido, de intriga de opositores, perseguição política ou qualquer outra desculpa esfarrapada ;mas, ainda assim, uma desculpa.

O funcionário mais novo o olhou, como quem mira um animal pré-histórico e devolveu a pergunta:
– O dinheiro não é público?
O funcionário mais velho admitiu:
– Público, sim senhor.
O outro argumentou, com a segurança de quem defende  um direito legítimo:
– Ora, se é público, também é meu.