jump to navigation

Dê um lápis ao menino. abril 21, 2010

Posted by eliesercesar in Verso & Prosa.
1 comment so far
Pouca gente sabe, mais o poeta baiano Firmino Rocha (1910-1971)  tem um poema gravado em placa de bronze na sede da ONU em Nova York. Ele escreveu este poema, talvez, o mais pacifista da Língua Portuguesa. Melhor do  que pés de trogloditas na calçada da fama. Leiam.

DERAM UM FUZIL AO MENINO

Adeus luares de Maio
Adeus tranças de Maria
Nunca mais a inocência
Nunca mais a alegria
Nunca mais a grande música
No coração do menino
Agora é o tambor da morte
Rufando nos campos negros
Agora são os pés violentos
Ferindo a terra bendita.
A cantiga, onde ficou cantiga?
No caderno de números
O verso ficou sozinho
Adeus ribeirinhos dourados
Adeus estrelas tangíveis
Adeus tudo que é de Deus
Deram um fuzil ao menino

Verso & Prosa abril 15, 2010

Posted by eliesercesar in Verso & Prosa.
add a comment

Maria Cecília em pleno ritmo. Foto: Andréia Borges.

    Tudo é ritmo na infância, tudo é riso…”

(Infância, Paulo Mendes Campos)